Turismo Religioso - Casa do Diácono João Luiz Pozzobon


          Somos a Quarta Colônia de Imigração Italiana, do Estado do Rio Grande do Sul. Quando os imigrantes aqui chegaram em 1877, vieram com o propósito de fazer “La Cucagna”, ou seja, trabalhar, trabalhar e juntar dinheiro, para retornarem à Itália.

          Vieram com sua cultura de muita fé e religiosidade. Era o que os sustentava psicologicamente, pois as dificuldades eram imensas, nada conheciam da “Nova terra”: vegetação, clima, relevo, fauna, tudo era desconhecido. Precisaram então se adaptar a esta realidade.

          Neste contexto, a fé os ajudou muito, foi a salvação deste povo. Cultuaram intensamente os seus Santos de devoção da Itália e, aqui, viviam amparados pela religiosidade. Eram tempos difíceis, mas tudo ficava mais ameno com a proteção dos seus padroeiros.

         Graças à garra deste povo, hoje, nós da terceira, quarta geração, vivemos com mais conforto, e sempre com muito trabalho e muita religiosidade, que são os nossos traços culturais mais fortes.

          Estamos trabalhando arduamente, ainda em busca da “cucagna” que tanto sonharam os nossos antepassados, esta busca nos mantém vivos, mas com uma diferença: aprendemos amar esta terra e não queremos mais à Itália retornar.

          O município de São João do Polêsine tem um de seus descendentes que praticou a fé de uma maneira singular, João Luiz Pozzobon, que peregrinou por 35 anos de sua vida ( 1950 a 1985), levando a fé a diversas crianças, famílias, hospitais, presídios e por todos os lugares em que passou. Andou a pé 140.000 Km e, hoje, é conhecido mundialmente pelo seu legado.

          O processo de Canonização foi aberto no dia 12 de dezembro de 1994, sendo já elevado à categoria de “Servo de Deus”.

          A casa, onde ele nasceu e cresceu, se tornou um lugar de visitação, essa propriedade que foi da família, hoje é local de meditação e espiritualidade, local que guarda a história da origem desse homem, que pelo mundo inteiro levou a paz.

          Devido à sua história e exemplo, somos visitados por países do mundo inteiro, que buscam sobretudo conhecer a realidade onde o Servo nasceu e cresceu.

No mês de abril, tivemos as visitas da comunidade e, também, de pessoas ligadas à religiosidade e à canonização de João Luiz Pozzobon. Entre elas, Irmãs Shoenstatianas, um Sacerdote da cidade de São Paulo, e Franciscanos de terceira ordem ( Curitiba), que foram recepcionados e orientados pela Coordenadora de Turismo, Anadete Buriol.